Fórum internacional debate realidade das populações deslocadas

Promovido por grupos de pesquisa da USP e PUC-SP, o evento pretende promover a interação de pesquisadores, estudantes, artistas e ativistas de diversos países para construção de estratégias de comunicação

De 6 a 8 de novembro a Escola de Comunicação e Artes da USP será o ponto de encontro de público interessado em pensar estratégias conjuntas de comunicação sobre as diásporas contemporâneas. Essa é a proposta do I Fórum Internacional Fontié Ki Kwaze, que tem como tema “Fronteiras Cruzadas: O Desafio das Comunicações diante das Populações em Deslocamento”. Veja a programação completa no site oficial: https://fontieforum.wordpress.com/programacao/ .

O Fórum contará com a participação de convidados do Brasil, Argentina, México, Colômbia, Bolívia, Haiti, Moçambique, Angola, Congo, Camarões, Palestina, Síria. O intuito do evento é cruzar fronteiras dos Estados, do conhecimento e dos movimentos sociais para compreender como pesquisadores, estudantes, artistas, gestores públicos, trabalhadores de diversas categorias e a sociedade civil como um todo podem atuar de forma colaborativa com migrantes transnacionais diante de um cenário de avanço nas sistemáticas expulsões e violações aos direitos humanos. Dessa forma, o Fórum criará espaços para promover a troca de saberes e resistências locais e globais num contexto de migrações.

O Fórum tem a coordenação geral do professor Artur Matuck e é organizado pelo Departamento de Relações Públicas, pelo COLABOR – Centro de Pesquisa em Linguagens Digitais, ambos da ECA-USP; pelo Programa de Pós-graduação Interunidades em Estética e História da Arte da USP; e pelo Núcleo de Arte, Mídia e Política das Ciências Sociais (NEAMP) da PUC-SP. O projeto tem financiamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).


Fontié Ki Kwaze, em criole haitiano, significa Fronteiras Cruzadas. O nome do Fórum faz referência ao Haiti, primeiro país a organizar uma revolução de escravos negros iniciada, em 1791, que derrotou a sangrenta exploração colonialista francesa de Napoleão Bonaparte e declarou a primeira república independente da América Latina em 1804. O Haiti luta até hoje contra as novas formas de dominação imperialista representada também pela recém superada ocupação armada pela Minustah, liderada pelo Estado brasileiro.


Programação

Nos dias 6 e 7/11, a partir das 9h o Fórum inicia suas atividades com conferências, arenas de debate, performances e oficinas com pesquisadores, artistas e ativistas nacionais e internacionais. Os eixos temáticos serão:  Desafios e perspectivas no campo da comunicação, política e direitos humanos; Experiências diaspóricas: corpos, tempos e histórias; e Fronteiras Cruzadas: arte, história e trabalho.

Entre os pesquisadores internacionais presentes no Fórum estará o Presidente da Red Internacional de Migración y Desarrollo e professor em estudos do desenvolvimento da Universidade Autônoma de Zacatecas no México, Raúl Delgado Wise, que abordará os desafios globais no debate atual sobre as migrações transnacionais no primeiro dia do evento. Delgado Wise também é coordenador geral da Cátedra UNESCO de Migração, Desenvolvimento e Direitos Humanos e membro do Comitê Consultivo do Comitê UNESCO-MOST México.

No segundo dia (07/11), outro destaque será a conferência  do vice-presidente do Comitê de Direitos dos Trabalhadores Migrantes da ONU e coordenador do programa migração e asilo da Universidade Nacional de Lanús, na Argentina, Pablo Ceriani, que debaterá migração e refúgio a partir da perspectiva dos direitos humanos.


Além dos conferencistas internacionais e pesquisadores renomados no cenário nacional, as mesas e arenas de debate serão também conduzidas por migrantes transnacionais com reconhecida atuação em movimentos e comunidades de migrantes na cidade de São Paulo que discutirão o contexto das fronteiras, a nova lei de migração e o cenário nacional. Participantes também poderão se inscrever para as oficinas de vídeo; ‘check point’; gênero e segurança digital que acontecerão no dia 07/11.  

Já no dia 8/11, das 13h às 17h, haverá reuniões dos convidados internacionais com grupos universitários, organizações de direitos humanos e movimentos sociais a fim de trocar conhecimento sobre mecanismos de proteção e fortalecer articulações e redes de ação inter-regionais, além de planejar a segunda edição do evento.

O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas pelo link: inscrição. Nos dias do Fórum também será possível fazer a inscrição no local considerando disponibilidade de vagas.

Pré-Fórum

Como etapa de mobilização, a equipe organizadora do Fórum participará neste sábado (21/10) do 2º Festival Que Bom Retiro, que será realizado na Praça Tiradentes, no centro de São Paulo, das 15h30 às 16h30. No local, haverá uma roda de conversa e divulgação do evento, além da performance de rua “Migranto”, com bonecos em escala humana concebidos pelos artistas Paulo Zeminian e Artur Matuck.

Serviço

I Fórum Internacional Fontié Ki Kwaze: “Fronteiras Cruzadas: O Desafio das Comunicações diante das Populações em Deslocamento”.

Dias e horários: 06/11 – das 9h às 20h; 07/11 – das 9h às 20h30; e 08/11 – das 13h às 17h

Local: Auditórios e salas do CRP-ECA-USP (Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443 – Butantã) no Campus Butantã da Universidade de São Paulo.

Inscrições:

Site do Fórum: https://fontieforum.wordpress.com/

Evento no Facebook: I Fórum Internacional Fontié Ki Kwaze

Qualquer dúvida, entrar em contato pelo e-mail: fontieforum@gmail.com

Assessoria de imprensa: Géssica Brandino

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s